Retrospectiva: as 10 principais notícias de tecnologia de 2016


postado no dia 31 de dezembro de 2016 às 12:26, por OYS Academy

Fiasco do Galaxy Note 7, chuva de notícias falsas nas Eleições dos EUA, ataques contra DNS, crescimento da VR e AR foram alguns dos principais destaques do ano.

A evolução inevitavelmente envolve a criação de novos problemas, e as grandes notícias de tecnologia deste ano mostram que isso vale para tecnologia assim como tudo mais.

Enquanto a Internet deixou o mundo mais próximo, também abriu caminho para as notícias falsas e as novas formas de espionagem. O crescimento da Inteligência Artificial deixou muita gente com medo de ser substituída. A Apple removeu alguns conectores populares dos seus novos aparelhos, o que irritou muita gente sobre a necessidade de comprar adaptadores.

Eleições e notícias falsas

A eleição presidencial dos EUA destacou o poder da Internet para disseminar informações falsas, impulsionando um grande debate sobre o papel das redes sociais na paisagem da mídia e como Facebook, Google e Twitter devem policiar as notícias falsas. A eleição foi o principal assunto das notícias no Facebook nos EUA neste ano, e essas notícias incluem reportagens totalmente falsas, como uma que afirmava que Hillary Clinton estava por trás de um esquema de pornografia infantil em uma pizzaria em Washington DC – o que acabou em uma grande tragédia. O Google e o Facebook começaram a bloquear anúncios nos sites conhecidos por publicar notícias falsas, mas ainda estão se debatendo com o problema.

Botnet Mirai

A Internet das Coisas (IoT) promete revolucionar o mercado e melhorar todos os tipos de serviços conectados à Internet. Mas, graças à botnet Mirai, também representa um risco global de segurança. A Mirai foi feita para fazer buscas na Internet em busca de aparelhos como câmeras e DVRs, e então acessar e controlá-los. Entre outros ataques, a Mirai foi responsável em setembro por um ataque DDoS contra a provedora de nuvem Akamai, que derrubou o site do especialista em segurança Brian Krebs. Em outubro, atingiu o provedor de DNS Dyn e afetou negativamente o acesso a muitos sites grandes nos EUA. Especialistas em segurança alertam que mais e mais botnets como a Mirai aparecerão, a menos que a indústria de hardware se mexa e deixe de usar senhas padrão, entre outras melhorias.

Qualcomm compra a NXP

Fusões e aquisições são uma parte importante da evolução do mundo da tecnologia. E a compra da NXP pela Qualcomm por 38 bilhões de dólares, anunciada em outubro, foi um sinal de como o mercado de chips está se consolidando em torno da Internet das Coisas. A Qualcomm quer expandir para além do cada vez mais estagnado mercado de smartphones, entrando no mercado da NXP de chips para carros e aparelhos de IoT.

Além disso, o anúncio em julho da compra da ARM pela SoftBank por 32 bilhões de dólares mostrou o interesse da empresa japonesa em lucrar com a demanda cada vez maior por processadores e outras tecnologias para os mercados mobile e de Internet das Coisas.

Intel demite 12 mil e se afasta dos PCs

Em outra confirmação de que estamos mesmo vivendo em um mundo pós-PC, a Intel anunciou a demissão de 12 mil pessoas (11% da sua força de trabalho). A desaceleração das vendas de PCs atingiu a Intel, e a empresa precisa evoluir para servir melhor os segmentos de cloud e IoT. Equipamentos de data center será uma área de crescimento para a Intel no futuro, juntamente com o número crescente de sensores e aparelhos conectados.

HoloLens e o futuro da VR e da AR

O lançamento do HoloLens Development Edition, da Microsoft, em março, e a posterior chegada da versão para não desenvolvedores no mundo todo (menos no Brasil), marcou um grande marco para os mercados de realidade virtual e aumentada. Outros acontecimentos marcantes do ano na área incluem os lançamentos do Oculus Rift e do HTC Vive VR. Mas parece que a Microsoft está liderando o movimento para levar VR e AR para as massas, prometendo uma atualização de software do Windows Holographic no Windows 10 em 2017, uma iniciativa que pode facilitar a fusão das realidades física e digital em qualquer PC.

Hack dos democratas nos EUA

A revelação em junho de que grupos hackers com prováveis laços com a Rússia hackearam a rede de computadores do Comitê Nacional Democrata dos EUA deixou a comunidade global de segurança em polvorosa. E-mails publicados pelo WikiLeaks causou embaraço entre os democratas, fez com que alguns oficiais do comitê se demitissem, além de permitido que os rivais republicanos explorassem o que foi revelado contra Hillary Clinton. E a afirmação da CIA e do FBI de que hackers russos interferiram nas eleições dos EUA para sabotar a campanha de Clinton, levam a ciberespionagem para um novo nível, acabou criando uma situação desagradável entre as agências de inteligência daquele país e o recém-eleito Donald Trump.

O fiasco do Galaxy Note 7

Quando a Samsung lançou o estiloso Galaxy Note 7, em agosto, o aparelho recebeu muitos reviews positivos. Mas pouco tempo depois os problemas apareceram. E como. Os usuários começaram a relatar problemas com superaquecimento e até mesmo casos de incêndio e de celulares soltando fumaça. A Samsung iniciou um recall, que não foi bem-sucedido, e acabou jogando a toalha em outubro, finalmente tirando o produto do mercado. O recall do Note 7 foi um sério golpe financeiro e de imagem para a Samsung, e um dos maiores fiascos da história do mercado de tecnologia: a empresa registrou uma queda de 95% no lucro operacional no trimestre, muito em parte por conta do recall do Note 7.

AlphaGo domina e preocupa humanos

O programa de Inteligência Artificial, do DeepMind, do Google, surpreendeu o jogador Lee Se-dol ao vencê-lo por 4 a 1 no jogo de tabuleiro Go, do qual é 18 vezes campeão mundial. A habilidade do AlphaGo de aprender a partir das suas experiências aparentemente explicou seus lances inesperados. Certamente foi o maior evento de IA vs humanos desde que o Deep Blue, da IBM, derrotou o campeão de xadrez Garry Kasparov em 1997. Como uma grande variedade de filmes e séries de TVs apontam, as preocupações com a IA ganharam um papel central mais recentemente, e não é por acaso: esses marcos continuam acontecendo à medida que a IA é incorporada aos produtos tecnológicos do dia-a-dia. O CEO do Google, Sundar Pichai, afirmou que “Estamos evoluindo de um mundo ‘mobile first’ para um mundo ‘AI first’”. Era exatamente isso que as pessoas temiam.

Apple e Moto Z abandonam o conector de fone de ouvido

Quando a Apple anunciou em setembro a retirada do conector de fone de ouvido de 3,5mm do iPhone 7, pouco após a Motorola fazer o mesmo com o Moto Z, os usuários ao redor do mundo se irritaram. E se livrar das portas USB nos novos MacBooks só piorou a situação. Agora, muitos acessórios não se conectarão mais diretamente com os aparelhos da Apple – será necessários comprar adaptadores ou novos periféricos. O executivo da Apple, Phil Schiller, disse que a empresa precisou ter “coragem” para fazer isso, mas muitos usuários discordaram, afirmando que a mudança, na verdade, mostrou que a companhia se importa mais com a sua própria visão do que com os consumidores.

Apple x FBI

Em fevereiro, uma ordem judicial de um juiz da Califórnia determinava que a Apple deveria ajudar o FBI a desbloquear um iPhone 5C que pertencia a um terrorista que realizou um ataque em San Bernardino, na Califórnia, que deixou mais 12 mortos em dezembro de 2015. Essa ordem acabou impulsionando um longo debate sobre acesso público a aparelhos criptografados, incluindo se as empresas de tecnologia devem ou não ajudar as autoridades a “hackearem” aparelhos criptografados. Em março, a ordem foi retirada depois que o FBI conseguiu hackear o iPhone em questão com a ajuda de terceiros. Com oficiais da lei ao redor do mundo lidando cada vez mais com aparelhos criptografados em crimes, no entanto, esse debate está longe de acabar.

 

Deixe seu comentário

Pesquisar
Cadastre-se
Curta